labrador amareloTer um animal de estimação implica em responsabilidade e muitos cuidados; porém a alegria, o companheirismo, a amizade, o afeto e o carinho que esses animaizinhos proporcionam, não tem preço... sendo considerados, na maioria das vezes, até parte da família. Agradam desde as crianças aos adultos, e retribuem toda a atenção e o amor que damos à eles. Os animais possuem sentimentos e precisam de nós.

Estudos mostram o bem que nos faz, manter esse contato próximo com a natureza animal. Mas ter um animal doméstico não é tão simples assim, então quando pensar na idéia, se pergunte: Quero realmente ter um animal em casa? Por quê? Tenho condições financeiras para arcar com os custos de um animal? Tenho um espaço adequado? Qual animal gosto mais? Meu estilo de vida permite ter um animal de doméstico?

Certifique-se do que você realmente quer e escolha a espécie do animal que goste e que combine com você! Tenha certeza que você irá ter paciência para a criação do animal, como educar, cuidar, limpar, dar comida, água, passear, dar banho, ter tempo para brincar, levar ao veterinário, dar vacinas etc. Há uma série de preocupações, mas que valem a pena quando se trata de um companheiro dentro de casa! Se possível, adote um animal abandonado ao invés de comprar.

Seja um gato, um cachorro ou um roedor, esses animais tornam-se parte de uma família. Cachorros e gatos precisam de mais carinho e atenção. Eles estão sempre mais próximos dos donos, são temperamentais e carinhosos. As pessoas também podem optar pelas tartarugas ou roedores que não são tão próximos dos humanos, mas que representam uma companhia na casa. É possível ainda escolher entre os pássaros, peixes e insetos.

10 Mandamentos da Posse Responsável

  • Tenha em mente que um cachorro vive aproximadamente por 12 anos. Pense bem antes se sua família está disposta a receber o novo membro e se há condições de cuidar dele.
  • Prefira adotar animais em abrigos do que comprá-los.
  • Antes de levar o bicho para casa certifique-se das necessidades dele como a alimentação, o tamanho que ele pode atingir e possíveis manias.
  • Não deixe seu animal solto. Se for passear, mantenha-o na coleira, principalmente se for um animal bravo.
  • Cuide do animal levando-o regularmente no veterinário, dando banho, alimentando corretamente, vacinando, etc.
  • Trate seu animal de estimação com carinho e seja atencioso.
  • Dê educação ao seu bichinho com regrinhas específicas de comportamento. Em alguns casos serão necessárias aulas de adestramento.
  • Não deixe os dejetos do animal no meio da rua. Se ele fizer, recolha!
  • Identifique seu animal e retire suas dúvidas no Centro de Controle de Zoonoses de sua região.
  • Castre o macho ou a fêmea para controlar a procriação.

Criação de Animais

filhote de pastor alemãoOs animais podem ser divididos em duas categorias, animais domésticos e animais selvagens. Os domésticos são aqueles que não vivem em seus ambientes naturais, e que tiveram o comportamento alterado através do convívio com o homem.

A domesticação começou na pré-história, no período neolítico, e é muito comum em nossa cultura. Ter um animalzinho em casa, como um companheiro, um bichinho para entreter, ou para a própria segurança, é algo muito comum em diversas casas, onde eles acabam virando parte da família.

Estudos comprovam que a convivência com os animais de estimação, favorece a saúde e o psicológico dos seres humanos, mas para isso a relação precisa ser interativa, não basta ser “o dono”. O vínculo ocorre, porque os bichos nos colocam em contato com a natureza animal, algo completamente diferente da dimensão que nós vivemos, e essa relação cria afeto, amor e lealdade. Muitas vezes, o adestramento de cães é feito pelos seus donos, mas é importante educar antes de adestrar.

Mas existem situações em que os donos colocam os animais em esferas não muito agradáveis. O animal não é um objeto, ou seja, o ser humano não pode manipulá-lo como bem entende, mas também não é um “bebê”, ou um “quase humano”. Se você assume a responsabilidade de domesticar e cuidar de um animal, é preciso lembrar que ele tem emoções, sentimentos, e precisa dos seus cuidados diários para viver bem, como a alimentação, a higienização e a saúde. Portanto, não pode pensar que ele é um objeto e muitas vezes conforme o animal vai crescendo, para o dono ele vai “perdendo a graça”, sendo deixado de lado e mal tratado. Os animais percebem a falta de atenção, de carinho e cuidados, muitos chegam a morrer de depressão. Não é a toa que em alguns casos quando o dono falece logo depois o animal também morre. Os bichinhos possuem sentimentos, ficam tristes e se sentem sozinhos.

Outros donos, já tratam seus animais como “mini humanos”, os levam à salões de beleza, massagistas, vestem roupas, acessórios, colocam perfumes, montam casas super equipadas, ou seja, tiram o animal completamente de suas características naturais.

Muitas vezes, a vaidade humana retira o bem-estar do animal. Eles possuem instinto, e necessidades próprias, que não são as mesmas que as nossas. Sendo assim, trate seu animal de maneira adequada.

Para que o seu bichinho de estimação esteja satisfeito, saudável e feliz, é indispensável que você atenda as seguintes necessidades primárias: o animal não deve sentir fome, sede e desconforto causado por algum motivo. Ele deve estar livre de doenças, dores e ferimentos. Não deve sentir medo e angústia, mas deve se sentir livre para expressar seu comportamento natural.

Cuidados com Animais Domésticos

Para garantir a vida saudável do animBorder Collie fazendo exercíciosal (e também a de pessoas que convivem com ele), são necessários alguns cuidados, como:

Leve-o ao Veterinário Regularmente

Cuidados médicos desde filhote são essenciais para o crescimento saudável do animal. Ele deve ser vacinado, vermifugado, além de outras providências específicas, dependendo da espécie do animal de estimação que você cria. A vacina contra a raiva, entre cães e gatos, é a mais comum e mais importante para a prevenção contra a doença. Não esqueça também de castrar o cão ou gato, pois a atitude evita a procriação indesejada, as enfermidades e reduz as chances de câncer de mama nas fêmeas, por exemplo.

Cuidados com Higiene

A frequência de banhos vai variar de acordo com o ambiente que o animal vive e a sua espécie. Se for um cachorro, recomenda-se um banho por mês, ou a cada duas semanas, pois previne o aparecimento de doenças. No caso de felinos, os banhos são bem menos frequentes, pois são animais instintivamente mais limpos que os cães, e já fazem a própria limpeza. No caso de chinchilas, que não podem se molhar, tomam banho em pó de mármore. Dependendo do animal, escove também seus dentes com escova e pasta dental especial, pois ajuda a prevenir tártaro e problemas dentários.

Pelos em excesso, principalmente no caso de cachorros, devem ser aparados (tosados). Evita que o animal se exponha ao calor excessivo e à proliferação de parasitas como pulgas e carrapatos, causadores de inúmeras doenças. Alguns xampus e sabonetes já possuem substâncias em sua composição que matam os parasitas. Em alguns casos, é necessário aplicar um tipo de veneno específico (com orientação veterinária) e o próprio dono deve fazer uma inspeção no corpo do animal. As unhas do animal de estimação também devem ser aparadas.

Alimentação Balanceada

A alimentação e a nutrição animal vão variar de espécie para espécie e de acordo com a idade. De preferência, fornecer ração de qualidade e nutritiva para o animal. Mantenha água limpa e fresca. Não esqueça de recolher os restos que sobram no comedouro, evitando proliferação de ratos, formigas, baratas, e outros insetos. Muito importante que as vasilhas utilizadas para esses fins estejam sempre limpas. Não dê alimentos “de gente” para o seu animal. Quando for oferecer frutas, legumes (alimentos naturais), peça sempre a orientação do veterinário.

Atividades Físicas

Não se esqueça de, sempre que possível, exercitar o seu bichinho. Seja em gaiolas com rodinhas para que ele possa se movimentar, seja em rotineiros passeios. Utilize sempre uma coleira e uma guia. No caso de animais mais agressivos, evite agressões, utilizando focinheira.

Adoção de Animais

cachorro tristeMuitos donos acabam abandonando seus animais por falta de paciência para cuidar ou por alguma deficiência. E ao serem encontrados, alguns desses animais são levados para abrigos onde esperam a bondade de alguém que queira cuidar deles, mas alguns sofrem de depressão pela falta de carinho, pela falta do dono, e por já terem se acostumado à outro modo de vida. 

Quando encontrar animais abandonados, ou que estejam sofrendo de maus tratos, pelas ruas de sua cidade, ligue para os órgãos de proteção aos animais. O animal provavelmente será recolhido e alguns procedimentos como castração, cuidados necessários, abrigo e alimentação apropriada serão realizados.

Essas ONGs também recebem auxílio de pessoas que se voluntariam na ajuda financeira, apadrinhamento e divulgação desses animais, inclusive de gatos e cães para adoção. Afinal, como são muitos animais, é importante que haja reposição de medicamentos, materiais de limpeza e higiene do animal e ração balanceada para a alimentação.

A castração é uma medida muito importante para quem adota um animal de estimação, principalmente cães e gatos. Ela evita a procriação indesejada, além de prolongar a vida do animal. Essa atitude evita o aumento de animais de rua. Quando adotar um animal, lembre-se de ter uma guarda responsável, para atender as necessidades básicas do bichinho, além de dar carinho, amor e atenção a ele.

O maltrato de animais é crime e está prescrito na lei, que prevê penas de prisão e multa. Não maltrate animais e denuncie quem os maltrata!

A WSPA é a Sociedade Mundial de Proteção Animal, apoiada pela ONU, e recebe adesão de artistas e pessoas importantes do mundo todo! Seja também um filiado e ajude essa ONG que luta pelo bem-estar animal e contra os maus-tratos.

Além de animais abandonados, também encontramos relatos de pessoas que perderam seu bichinho de estimação. Existem medidas, como a identificação definitiva, que consiste na aplicação segura e simples de um microchip, do tamanho de um grão de arroz, na pele do animal. Quando perder o seu animal, lembre-se de distribuir cartazes em diversos lugares e de anunciar nos sites de apoio e redes sociais.

Infelizmente, o número de abandono é muito maior do que o de adoção. Mas essa é uma realidade que você pode ajudar a mudar, veja aqui alguns centros de adoção, ou procure algum em sua cidade.

Brasília

SHB – Sociedade Humanitária Brasileira

ProAnima – Associação Protetora dos Animais do DF (Entidade filiada à WSPA)

Minas Gerais

Cão Viver

Rio de Janeiro

Suipa

Adote um gatinho

São Paulo

UIPA

Pet feliz

Santa Catarina

Mãe de Cachorro

Abrigo Animal 

Rio Grande do Sul

Duas mãos quatro patas

Bicho de rua

Espírito Santo

Adoção Gatinhos ES